Pesquisar este blog

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

Para refletir.


 

Respingos do passado.

 
Lendo alguns artigos e textos sobre a idade média, que será o cenário do meu próximo trabalho como escritor. Me deparei com “A Santa Inquisição”. Isso me levou a pensar sobre a intolerância religiosa que levou ao derramamento de sangue de centenas de pessoas e infelizmente, respinga em nossos corpos até os dias de hoje.
A Idade das trevas infelizmente ainda está presente em cada atitude nossa em relação ao próximo, camuflada em forma de um respeito hipócrita, que ainda, como um fantasma nos faz pensar que somos melhores por praticarmos determinada fé que não é a do outro.
Sou agnóstico por vários motivos particulares, mas também não me eximo quando me deparo com a palavra respeito.
Muito se fala em aceitar as diferenças nos dias de hoje, porém, muito pouco se faz de fato.
A fé, seja ela qual for não pode ser usada para separar as pessoas. Mas infelizmente desde os primórdios da religião mais antiga da humanidade, ela, a fé, sempre foi usada para o acumulo de poder e riqueza. Para impor o medo e controlar a massa. Não quero aqui discutir temas teológicos, mas apenas parar um segundo para refletir sobre o que a sua crença, ou a falta dela, causa no próximo.

 

 

 Música: Guerra Santa - Gilberto Gil - Álbum (Quanta). 





Ele diz que tem, que tem como abrir o portão do céu
ele promete a salvação
ele chuta a imagem da santa, fica louco-pinel
mas não rasga dinheiro, não

Ele diz que faz, que faz tudo isso em nome de Deus
como um Papa na inquisição
nem se lembra do horror da noite de São Bartolomeu
não, não lembra de nada não

Não lembra de nada, é louco
mas não rasga dinheiro
promete a mansão no paraíso
contanto, que você pague primeiro
que você primeiro pague dinheiro
dê sua doação, e entre no céu
levado pelo bom ladrão

Ele pensa que faz do amor sua profissão de fé
só que faz da fé profissão
aliás em matéria de vender paz, amor e axé
ele não está sozinho não

Eu até compreendo os salvadores profissionais
sua feira de ilusões
só que o bom barraqueiro que quer vender seu peixe em paz
deixa o outro vender limões

Um vende limões, o outro
vende o peixe que quer
o nome de Deus pode ser Oxalá
Jeová, Tupã, Jesus, Maomé
Maomé, Jesus, Tupã, Jeová
Oxalá e tantos mais
sons diferentes, sim, para sonhos iguais
 
 
 
Imagem da internet.
 
Letra: Site Vaga Lume

 
 

Nenhum comentário:

Postar um comentário